História

Minha pele amarela (ou não)

Meus olhos puxados (ou não)

Quando vocês vão conseguir parar

De me olhar só pela cor?

 

Boneca descartável

“Brinca comigo

Se diverte comigo

Eu, a mansa e calada

Aceito tudo de cabeça baixa”

 

Grita da escada rolante

Entrando na estação Luz

Uma bosta qualquer

Te garanto que não era chinês

 

Eu andando na rua

Me pede para te seguir até em casa

Promete que não vai fazer

“Nada que eu não quiser”

 

Boneca de porcelana

Meio frágil

Ainda descartável

 

“Brinca comigo

Se diverte comigo

Ela, a mansa e calada

Vai aceitar tudo de cabeça baixa”

 

Afinal de contas

Existem alguns bilhões iguais a mim

“Um a menos? Que bom!

Já que temos tantos por aqui”

 

Minhas raízes vêm do oriente

Tenho orgulho dessa cultura

Inabalável

Milenar

 

Perfeita?

Nunca

Inocente?

Até um tolo saberia que não

 

Ainda assim

Minha história

Meu passado

Minhas vestimentas

E ideogramas

Minha arte

Meu alicerce

Minha língua

Meus antepassados

Nossa família

E enquanto terceiros insistirem

Nossa cor

passagem

ela que vê glória em trem lotado
cor em dia cinza
estende os braços
abraça o mundo
e quando perguntam
como sorri em meio ao feio e o sujo
só diz saber ser breve
sua estadia na plataforma
que acha bonito
como a onda quebra
as folhas caem
acaba o dia
que não entende
quem coloca na mesma frase
viver e agonia
“não brinco nos trilhos
porque o trem pode demorar
mas sempre chega
e quando vier me buscar
como é que fica?”

valsa de um só

e eu falei que não queria
que era só uma distração
jurei
que não precisava
de nada disso
que queria me dar
escolhi ficar no chão
me assustou seu bem-querer
me sufocou a sua mão
deixei passar o tempo
meses sem resposta
sem dó
morria de medo, mas não admitia
de ter um pouco da minha felicidade

nas suas mãos

Mochileiro das galáxias

Que música toca quando você dança?
Como o vento canta quando te vê passar?
Que balé é esse que quando te toca, o mar rege?
Paleta de cores que clareou meu pesar

Eu me considerava idealizadora por admirar as estrelas
Mas para você, Marte fica logo aí
Enquanto meus universos ficam num velho armário
Alguns dos seus, concretizados, se manifestam por aí

Para viver, vendo sonhos para quem tirar tempo para ficar
Mas hoje, uma estrela me escapou e caiu em você
E agora mesmo que da forma mais idealizada possível
Peço que ela queime, brilhe muito enquanto o sonho durar