Bilhete

Para quem interessar ler isso:

As coisas mudaram. Para melhor, para pior? Mudaram.

Fui parar aqui nesse.. lugar.

E nessa estrada, nesse processo, tenho que deixar pelo caminho algumas coisas que talvez não me pertençam mais. Ideias concretas, verdades aparentemente bem alicerçadas, características, manias, rotinas.

Não escolhi ao certo meu rumo, e se surgir uma bifurcação agora talvez eu não saiba qual caminho seguir.

Não escolhi nem essa estrada na qual encontro meus pés. Na verdade, sinto como se tivesse sido arrancada do meu lugar e jogada no meio do caminho. Talvez isso possa se chamado de sair da zona de conforto?

Eu sei, não escolhi quase nada ainda, mas escolhi continuar caminhando: aos tropeços, perdas de referência e muitos, muitos joelhos ralados.

Continuando. Vivendo. Caminhando.

Espero que isso não te soe como abandono. Eu vou, mas quem sabe logo eu já volto?

É minha hora de buscar, experimentar, sentir tudo aquilo que ainda não fui atrás por não saber que precisava. Tô me perdendo pra me achar. De novo.

Fui correr atrás de mim.

Mas já volto.