Humana eternidade

Que seja eterno enquanto dure

Que seja bela, a vista da tua janela
O jardim de onde decidir chamar de casa
Que seja leve, cada passo dado
Cada caminho percorrido
Cada poesia por ti entoada

Porque a estrada nem sempre é
A vida que te cerca também não é

Então espero que seja leve
Tua alma, teu interior
Que teus sonhos proporcionem tudo aquilo
Que esse mundo não pode te dar

Que a chama ardendo em ti
Aquela que vem do peito
A que queima tuas entranhas
Que o céu de estrelas nos seus olhos
Que nada disso se apague
Não aqui
Não nesse mundo

Que a tua luz continue pulsante
Até o último dos seus dias
E teu anima, sempre alerta
Enquanto tempo para ti restar

Espero que quando vierem tempestades
A força das águas não seja maior
Do que a sua vontade de nadar
Sua certeza de querer ficar

Que o amargor de certos dias
Não te faça esquecer do porquê lutar

//

Brilha, ao ponto de cegar
Faz arder, queimar
Abre as feridas mal cicatrizadas
Costura a alma desmantelada

Sincroniza a vida mais uma vez
Volta a dançar, aperta o play
Deixa as luzes te apagarem
Permita que o passado se desfaça

É um novo ciclo que começa
Outra escolha à espera
Sozinha ou acompanhada
Com ou se, ele, o agora é seu

Só seu para transformar
Multiplicar
Melhorar
Curar